Mercado diminui preocupação com aperto agressivo da política monetária americana

Atualizado em -

Mercado diminui preocupação com aperto agressivo da política monetária americana Pexels
► Dinheiro na poupança perde poder de compra e rende abaixo da inflação há quase dois anos► Receita Federal bate recorde de arrecadação em abril: R$ 195 bilhões► ANS aprova ajuste de 15,5% nos planos de saúde, maior aumento desde 2000

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

Ontem, o Ibovespa fechou em alta 1,18% aos 111.889 pontos, acompanhando a recuperação do mercado americano após a percepção da queda acima do esperado do PIB 1º tri de -1,5%, sobre um alívio das preocupações com um aperto mais agressivo da política monetária americana.

O índice Dow Jones subiu 1,61%, o S&P 500 avançou 1,99%, e o Nasdaq teve alta de 2,68%. O dólar comercial fechou em queda de -1,23%, cotado a R$ 4,76.

Internacional

Hoje, os mercados mundiais dão sequência ao sentimento de alívio, com poucas novidades sobre a guerra e lockdown na China no radar. O mercado aguarda o deflator do PCE de abril, o índice de preços preferido pelo Fed para a inflação, nos Estados Unidos, com expectativa de alta de 0,3% na base mensal e de 4,9% na base anual. Uma leitura acima do esperado poderia reacender o temor inflacionário e aumentar as apostas de um Fed mais agressivo no ciclo de alta da taxa de juros.

Na Europa, as bolsas receberam um impulso depois que o ministro das Finanças britânico, anunciou uma série de medidas para enfrentar a crise do custo de vida do país, incluindo um chamado “imposto inesperado” sobre os lucros das gigantes de petróleo e gás.

No mercado asiático, os lucros industriais da China caíram 8,5% a.a. A bolsa de Shangai fechou em alta de +0,23%, a bolsa do Japão em alta de +0,66% e a bolsa de Hong Kong fechou em alta de +2,89%.

Brasil

Entre os setores no Brasil, destaque positivo para as companhias de saúde, após a Agência Nacional de Saúde Suplementar permitir aumentos de até 15,5% para os planos de saúde individuais e familiares. Após o anúncio, a SulAmérica (SULA11) e Hapvida (HAPV3) subiram, respectivamente, 5,41% e 5,22%.

Commodities

Entre as commodities, os contratos futuros do minério de ferro em Dalian (China) fecharam em queda de -0,8% e o petróleo Brent opera em queda de -0,34%.

Corporativo

No cenário corporativo, temos como destaque o pagamento de proventos da Petz (PETZ3), Banco de Brasília (BSLI3) e Rumo (RAIL3).

A Petz realizará pagamento de JCP no dia 30 de junho de 2022, com data-base de 30/06/2021, no valor total bruto de R$ 5 milhões, representando R$ 0,01 por ação.

O Banco de Brasília aprovou a antecipação do pagamento de JCP no valor de R$0,072 por ação ON e R$ 0,079 por ação PN, com data-base de 01/06/2022 e pagamento em 10/06.

A Rumo atualizou valor pago em dividendo para R$ 0,019, valor maior do que o anteriormente divulgado. A data-base é de 27/04/2022 e o pagamento será em 31/05.

Relacionados:

► Dinheiro na poupança perde poder de compra e rende abaixo da inflação há quase dois anos► Receita Federal bate recorde de arrecadação em abril: R$ 195 bilhões► ANS aprova ajuste de 15,5% nos planos de saúde, maior aumento desde 2000

Leia mais: