Índice de Confiança de Serviços caiu 4,3 pontos em janeiro, aponta FGV/IBRE

Atualizado em -

Índice de Confiança de Serviços caiu 4,3 pontos em janeiro, aponta FGV/IBRE Freepik
► Índice de Confiança de Serviços volta a cair em novembro, diz FGV► Índice de Confiança da Indústria apresentou queda de 1,7 ponto em janeiro, aponta FGV/IBRE► IGP-M registra avanço de 1,82% em janeiro e acumula alta de 16,91% em 12 meses

De acordo com dados divulgados nesta sexta-feira (28) pela Fundação Getúlio Vargas / Instituto Brasileiro de Economia (FGV/IBRE), o Índice de Confiança de Serviços (ICS), do FGV IBRE, caiu 4,3 pontos em janeiro, para 91,2 pontos, menor nível deste maio de 2021 (88,1 pontos). Em médias móveis trimestrais, o índice também recuou, desta vez, 2,6 pontos.

O resultado negativo desse mês parece refletir a desaceleração que já vinha sendo sinalizada nos últimos meses, mas com o acréscimo da nova onda da pandemia. Além do cenário macroeconômico ainda difícil e da cautela dos consumidores, a volta de algumas medidas restritivas já impacta a atividade do setor e liga o sinal de alerta sobre o ritmo dos próximos meses. Enquanto esses fatores persistirem vai ser difícil observar o retorno da tendência positiva da confiança no setor de serviços”, avaliou Rodolpho Tobler, economista do FGV IBRE.

Puxado pela piora da situação da pandemia no país, com o rápido avanço da variante Ômicron, e o surto da nova cepa da Influenza, resultado negativo em janeiro foi disseminado entre 6 dos 7 principais segmentos do setor, com destaque para os serviços prestados às famílias, que havia atingido um nível de confiança acima do esperado no final de 2021.

“Esse resultado reflete a piora dos casos da pandemia e a volta de algumas medidas restritivas, como adiamento de alguns feriados. Essas medidas acabam afetando de maneira mais intensa as empresas desse, como já ocorreu em ondas anteriores da pandemia”, completa Tobler.

O Índice de Situação Atual (ISA-S), indicador da percepção sobre o momento presente do setor de serviçoscaiu 3,1 pontos, indo para 89,4 pontos, menor nível desde junho de 2021 (88,7 pontos). Já o Índice de Expectativas (IE-S), que reflete as perspectivas para os próximos meses recuou 5,5 pontos, caindo para 93,2 pontos, menor nível desde maio de 2021 (92,4 pontos).

Histórico

O Índice de Confiança de Serviços, calculado pela Fundação Getulio Vargas (FGV), recuou 2,3 pontos de outubro para novembro de 2021, chegando a 96,8 pontos, em uma escala de zero a 200 pontos. Esse é menor nível desde junho do mesmo ano (93,8 pontos). No mês anterior, o indicador havia subido 1,8 ponto. A queda em novembro foi puxada principalmente pelo Índice de Expectativas, que mede a confiança do empresário do comércio brasileiro no futuro e que caiu 2,7 pontos, atingindo 100,9 pontos.

Relacionados:

► Índice de Confiança de Serviços volta a cair em novembro, diz FGV► Índice de Confiança da Indústria apresentou queda de 1,7 ponto em janeiro, aponta FGV/IBRE► IGP-M registra avanço de 1,82% em janeiro e acumula alta de 16,91% em 12 meses

Leia mais: