Mercado aguarda anúncio do Fed; no Brasil, prévia da inflação fica em 0,58% em janeiro

Atualizado em -

Mercado aguarda anúncio do Fed; no Brasil, prévia da inflação fica em 0,58% em janeiro Freepik
► FMI reduz previsão de crescimento do Brasil de 1,5% para 0,3%► Nubank cai 20% desde estreia na Bolsa e já vale menos do que Itaú e Bradesco► Prévia da inflação desacelera e fica em 0,58% em janeiro

Nesta quarta-feira, os investidores devem monitorar a divulgação de importantes dados econômicos.

Na agenda doméstica, atenção para o IPCA-15, a prévia da inflação de janeiro, divulgada pelo IBGE pela manhã. O indicador desacelerou para 0,58% em janeiro após registrar alta de 0,78% no mês de dezembro. Nos últimos 12 meses, o IPCA-15 acumula alta de 10,20%, abaixo dos 10,42% observados nos 12 meses imediatamente anteriores.

Atenção ainda para o resultado das contas externas em dezembro apresentado pelo Banco Central. Mas a atenção maior se volta para o anúncio de política monetária do Fed, à tarde. A expectativa é que a taxa básica de juros seja elevada apenas em março. Contudo, os investidores monitoram novas informações sobre o ritmo e o grau dos apertos contemplados pela autoridade monetária. As preocupações de que o Fed possa sinalizar um ritmo de aumento de juros mais forte de forma a controlar a inflação têm pressionado o mercado americano nas últimas sessões.

Contudo, na manhã desta quarta-feira, os contratos futuros dos principais índices das Bolsas em Wall Street registram avanço, buscando recuperação de parte das perdas acumuladas no ano. Enquanto isso, o noticiário sobre a tensão política entre Rússia e Ucrânia segue no radar, com movimentação de tropas da Otan.

Internacional

Sobre os mercados mundiais, os índices futuros americanos avançam nesta quarta-feira pela manhã, à espera de uma decisão do Comitê Federal do Mercado Aberto do Federal Reserve (Fomc) sobre suas políticas. Na terça-feira, o Dow recuou 0,2%; o S&P perdeu 1,2%; e o Nasdaq, 2,3%. Os papéis da Microsoft, no entanto, avançaram 2% no after market, após a empresa divulgar diretrizes melhores do que esperadas para as receitas no trimestre.

O desempenho negativo do mercado na terça-feira veio em meio à perspectiva de redução de estímulos pelo Federal Reserve, que encerra nesta quarta-feira sua reunião de dois dias. Às 16h (horário de Brasília) será divulgado o anúncio, que deverá trazer pistas sobre quando e em que velocidade o banco central americano elevará os juros, devendo sinalizar aumento nas taxas em março.

As bolsas asiáticas fecharam a quarta-feira com desempenhos variados entre si, após uma sessão volátil nas negociações de overnight. Os papéis de tecnologia da China recuperaram parte das perdas do dia anterior, com alta de 0,86% da Tencent e de 1,43% da JD. As bolsas europeias avançam nesta quarta-feira, com destaque positivo para o setor de viagens e lazer, também com atenção para o anúncio da política monetária do Fed nos Estados Unidos.

Brasil

No Brasil, o último pregão de ações encerrou alta de 2,1% cotado aos 110.203 pontos na contramão das bolsas americanas e apoiado no preço das commodities. Como destaque, na terça-feira, o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que a proposta de emenda à Constituição (PEC) em elaboração pelo governo vai permitir que os Executivos federal e estaduais reduzam ou mesmo zerem impostos sobre combustíveis, energia elétrica e gás de cozinha. Ainda, na terça-feira, o governo federal confirmou que o Brasil recebeu a carta-convite do conselho da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) que formaliza o início do processo de adesão do país ao grupo.

Commodities

Sobre as commodities, o minério de ferro negociado na bolsa de Dalian teve alta de 3,4%, a 776 iuanes, o equivalente a US$ 122,75. O petróleo Brent é negociado com alta de 0,94%, a US$88,00 o barril.

Corporativo

No contexto corporativo, a Petrobras disse que a venda dos campos de Albacora e Albacora Leste, na Bacia de Campos, ainda está em fase de negociação com os consórcios liderados pela PetroRio (PRIO3). Assim, conforme a estatal, não há data definida para conclusão das tratativas e assinatura dos contratos. As ofertas para ambos os campos superaram US$ 4 bilhões. A companhia esclarece ainda que a celebração da transação dependerá do resultado das negociações, bem como das aprovações corporativas necessárias.

Além disso, a Inepar (INEP4) informou que a Melville Capital propôs aquisição da UPI IPM/IOG por US$ 125 milhões, sendo 65% do valor do Preço da UPI correspondente ao valor estipulado aos imóveis e ativos fixos a ele incorporados e 35% do valor do preço correspondente ao valor do negócio das unidades operacionais UPI IPM/IOG, estando incluído o acervo, propriedade intelectual e outros intangíveis.

Por fim, o Carrefour (CRFB3) deve vender onze unidades, já listadas pelo Cade, a depender da determinação final do Cade para concluir compra do Grupo Big Brasil. Elas estão localizadas no Rio Grande do Sul, Ceará e Pernambuco. A Superintendência-Geral do Cade recomendou a aprovação da aquisição do Grupo BIG Brasil pela varejista, mediante a celebração de Acordo em Controle de Concentrações (ACC), que determina o desinvestimento de algumas lojas.

Relacionados:

► FMI reduz previsão de crescimento do Brasil de 1,5% para 0,3%► Nubank cai 20% desde estreia na Bolsa e já vale menos do que Itaú e Bradesco► Prévia da inflação desacelera e fica em 0,58% em janeiro

Leia mais: