Redução da taxa de juros do Banco Central chinês é o destaque da sessão

Atualizado em -

Redução da taxa de juros do Banco Central chinês é o destaque da sessão Freepik
► China implementa regras mais rígidas de investimentos para empresas de tecnologia► Caixa concede R$ 140,6 bi em crédito habitacional em 2021, recorde histórico► BNDES aprova desestatização da CODESA; investimentos são estimados em R$ 1,3 bi

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

Nesta quinta-feira, a sessão é mista para os principais índices mundiais do mercado acionário, com Europa em baixa, índices futuros americanos em leve alta após o sell-off da véspera e Ásia em alta na maior parte dos seus índices.

Em destaque, o Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês), reduziu sua taxa de juros de referência de um ano de 3,8% para 3,7% e a taxa de cinco anos ou mais, de 4,65% para 4,60%. São os primeiros cortes nessas taxas desde 2020, movimento que ocorre na contramão de outros economias, como dos EUA. Apesar de impulsionar Nikkei e Hang Seng, o anúncio teve efeito limitado sobre as ações europeias, onde investidores focam nos resultados corporativos e também nos dados de inflação.

Após baterem o maior preço em sete anos, os futuros do Brent caem nesta manhã, enquanto o minério registra novo dia de alta respondendo aos estímulos chineses.

Internacional:

Sobre os mercados mundiais, os índices futuros americanos avançam nesta quinta-feira (20), em busca de recuperação após uma sessão conturbada. Na quarta-feira, os índices caíram com os investidores cautelosos com a perspectiva de alta de juros em meio à retomada da economia e à pressão inflacionária. O Dow fechou a quarta-feira com queda de 0,9%; o S&P perdeu 0,9%; e o Nasdaq recuou 1,15%. Os papéis também são afetados pela continuidade da alta do rendimento de títulos do Tesouro americano com vencimento em dez anos. No início do ano, o rendimento estava em 1,5%, e na quarta-feira chegou a atingir 1,9%.

As bolsas asiáticas fecharam a quinta-feira com altas em sua maioria, após a China cortar em 0,1 ponto percentual a taxa preferencial de empréstimos com vencimento em um ano. A taxa preferencial de empréstimos com vencimento em cinco anos foi cortada pela primeira vez desde abril de 2020, em 0,05 ponto percentual, o que deve baratear hipotecas. Ações do setor de propriedades da China, que vem registrando perdas em meio a uma crise da dívida no país, tiveram ganhos. O destaque positivo na quinta-feira foi o índice Hang Seng, de Hong Kong, mas houve quedas na China continental.

Na Europa, o índice Stoxx 600, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, avança 0,2%, com destaque positivo para viagens e lazer e negativo para ações de saúde. Os mercados são afetados pela alta da inflação e do rendimento dos títulos do Tesouro nos Estados Unidos, a divulgação de resultados e dados de inflação na Europa. Dados divulgados na quarta-feira indicaram que a inflação chegou em dezembro no Reino Unido ao patamar mais alto em 30 anos. Já nesta quinta, foi divulgado o Índice de Preço ao Produtor (IPP) da Alemanha, que ultrapassou as projeções de mercado para o mês de dezembro, avançando 5% ante consenso de 0,8% da Bloomberg. Com isso, a inflação ao produtor alemão passou de 19,2% para 24,2% na comparação anual. Já o Índice de Preço ao Consumidor da Zona do Euro ficou em 5% no acumulado de 12 meses, em linha com as projeções de mercado.

Brasil:

No Brasil, o último pregão de ações encerrou com alta de 1,26%, aos 108.013 pontos descolando-se mais uma vez das bolsas americanas, contando com o avanço dos preços das commodities. O mercado repercute também cenários eleitorais, com o ex-presidente Lula declarando que gostaria de contar com Alckmin em sua chapa, acenando para o centro e animando os mercados.

Como destaque, em entrevista na quarta-feira ao programa Pingo nos Is, da Jovem Pan, o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que os servidores merecem reajustes, mas disse que não há folga no Orçamento da União em 2022. Ele falou sobre a possibilidade de beneficiar três categorias do funcionalismo, mas não as demais. Além disso, Bolsonaro também reconheceu a alta da inflação no país e afirmou que apresentará projeto para reduzir o preço dos combustíveis na volta do Congresso. Ainda, em entrevista publicada na quarta-feira à tarde pelo jornal Folha de S. Paulo, o deputado federal e secretário-geral do PT, Paulo Teixeira (SP), defendeu a possibilidade de que Geraldo Alckmin seja vice de Luiz Inácio Lula da Silva na disputa para presidente em 2022, e afirmou que a composição não afeta os projetos do partido.

Commodities:

Sobre as commodities, o minério de ferro negociado na bolsa de Dalian teve alta de 1,30%, a 742 iuanes, o equivalente a US$ 116,99. O petróleo Brent é negociado com queda de 0,37%, a US$88,08 o barril.

Corporativo:

No contexto das corporações, a Marfrig (MRFG3) concluiu os processos de aquisições da Sol Cuisine, empresa listada na Bolsa de Valores de Toronto, e da Drink Eat Well (Hilary’s), empresa de capital fechado nos EUA. Em novembro de 2021 a Marfrig já havia anunciado o acordo para que a sua joint venture PlantPlus Foods adquirisse a Sol Cuisine e a Drink Eat Well (DEW). Naquela época, o valor consolidado era de US$ 140 milhões, dos quais a Marfrig capitalizará cerca de US$ 100 milhões, conforme comunicado. O valor da Marfrig é referente à sua participação na joint venture, de 70%, por meio de caixa próprio.

A Tenda (TEND3) registrou R$ 836,2 milhões em valor geral de vendas (VGV) de lançamento no 4TRI21, queda de 6% na comparação anual. A empresa encerrou o ano de 2021 com VGV de R$ 3,1 bilhões, aumento de 15% na comparação anual. As vendas líquidas de imóveis da JHSF caíram 10,1% no quarto trimestre, na comparação anual, para R$ 340,2 milhões. No acumulado de 2021, a companhia vendeu R$ 1,58 bilhão, crescimento de 28,9% ante 2020.

Relacionados:

► China implementa regras mais rígidas de investimentos para empresas de tecnologia► Caixa concede R$ 140,6 bi em crédito habitacional em 2021, recorde histórico► BNDES aprova desestatização da CODESA; investimentos são estimados em R$ 1,3 bi

Leia mais: