Opep+ marca nova reunião para tentar resolver impasse entre Arábia Saudita e Emirados Árabes

Atualizado em -

Opep+ marca nova reunião para tentar resolver impasse entre Arábia Saudita e Emirados Árabes Freepik
► Agência Internacional de Energia projeta aumento na produção global de petróleo em 2021 ► Balança comercial tem superávit recorde; governo eleva projeções para 2021

O prosseguimento do impasse nas negociações da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) aumenta a tensão entre Emirados Árabes e a Arábia Saudita. A atípica disputa diplomática entre os dois países, leva o mercado global a não ter clareza quanto a quantidade de petróleo que será produzida no próximo mês.

O cartel produtor avalia a política do comércio petroleiro não apenas para o resto do ano, mas também até 2022, e a solução para a discordância vai moldar o setor no ano que vem.

A próxima reunião entre as nações membros está marcada para hoje (05) e mantém os mercados no escuro enquanto o petróleo continua uma alta inflacionária acima de US$ 75 o preço do barril. O impasse já levou a Opep+ a suspender as negociações duas vezes.

A ausência de um acordo entre os dois principais produtores se tornou pública neste domingo (04). Os dois países, que normalmente mantêm divergências dentro dos palácios reais, expuseram suas diferenças abertamente.

O governo de Riade insiste em seu plano, que é apoiado por membros da Opep+ como a Rússia, para que o grupo aumente a produção nos próximos meses. No entanto, por uma questão de estabilidade, também estenda o pacto até o final de 2022.

"Temos que estender", disse o ministro de Energia da Arábia Saudita, príncipe Abdulaziz bin Salman, em entrevista à Bloomberg Television na noite de domingo. "A extensão coloca muitas pessoas em sua zona de conforto".

Horas antes, o Ministro de Energia e Infra-estrutura dos Emirados Árabes, Suhail al-Mazrouei, rejeitou mais uma vez a extensão do acordo. Ele apoia apenas um aumento no curto prazo e exige melhores condições ao país para 2022.

"Os Emirados Árabes Unidos desejam um aumento incondicional da produção, que o mercado exige", afirmou Al-Mazrouei também à Bloomberg Television neste domingo. Entretanto, a decisão de estender o acordo até o final de 2022 é "desnecessária agora", defendeu.

O risco de não se chegar a um acordo entre todos os países aliados poderia levar ao término da aliança atual da Opep+ e ao potencial forte aumento dos preços do petróleo numa escala global. A Opep+ deverá realizar uma nova reunião virtual nesta segunda-feira às 15h, horário de Viena (Aústria).

Relacionados:

► Agência Internacional de Energia projeta aumento na produção global de petróleo em 2021 ► Balança comercial tem superávit recorde; governo eleva projeções para 2021

Leia mais: