Em estreia na B3, ações da Boa Safra (SOJA3) disparam mais de 50%

Atualizado em -

Em estreia na B3, ações da Boa Safra (SOJA3) disparam mais de 50% Freepik
► JBS compra empresa europeia Vivera; Minerva concluiu emissão de debêntures► Banco do Brasil investiu R$ 67,9 bilhões em linhas agropecuárias na safra 2020/2021

Estreando nesta quinta-feira (29) na B3, a Boa Safra (SOJA3) registrou mais de 50% de valorização dos seus papéis. Por volta das 11h40 (horário de Brasília), a ação atingiu o patamar de R$ 14,90.

A produtora de sementes fez conseguiu movimentar R$ 459,9 milhões, em seu IPO, com o preço unitário da ação saindo a R$ 9,90.

A empresa informou que pretende usar os recursos líquidos para crescimento orgânico e inorgânico e reforço de capital de giro.

Boa Safra

Com operações nas regiões Centro-Oeste, Sudeste, Norte e Nordeste, o grupo Boa Safra atua, principalmente, com produtor de sementes. A companhia se define como uma empresa que "oferece sementes de soja com alta qualidade, levando seus produtos para 70% dos estados produtores da commodity".

No prospecto de seu lançamento na bolsa de valores, a Boa Safra se apresenta como líder de mercado em vendas de sementes de soja no Brasil. De acordo com a empresa, em 2020 possuía 5,7% de market share.

"Acreditamos ter um dos mais completos portfólios de sementes de soja do mercado brasileiro, oferecendo tratamentos com diversos componentes químicos e genéticos adaptados às mais distintas regiões do país", afirma no documento de apresentação.

A receita total da empresa, em 2020. foi de R$ 589 milhões. O lucro líquido anotado foi de R$ 70 milhões e o ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 105 milhões.

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

PIB do Agronegócio

O Sócio e Economista da VLG Investimentos, Leonardo Milane, aponta que o agronegócio segue em franca expansão com um PIB gerado pelo setor em constante crescimento a cada ano.

"Temos no Brasil condições muito favoráveis em relação a outros produtores de commodities agrícolas: como o clima, qualidade da terra, preço da mão de obra, um câmbio depreciado favorecendo a exportação. Essa combinação de fatores leva o agronegócio a ser o melhor setor da economia brasileira e deve continuar sendo por mais tempo", explica Milane.

Outro ponto destacado pelo economista da VLG Investimentos é que não é preciso, necessariamente, ser um produtor rural para lucrar com o agronegócio. Além das possibilidades de investimentos em renda variável através de ações ou derivativos, por exemplo, também é possível aplicar, inclusive, em ativos de renda fixa que são atrelados a produção do setor rural.

"Através das LCAs e dos CRAs, que são bem mais conservadores, também é possível ganhar dinheiro do setor do agronegócio e aproveitar esse bom momento. Afinal de contas, se está num bom momento, ele [o emissor do papel] vai ter dinheiro para pagar os juros. E se o setor vai muito bem, provavelmente, não vai quebrar. No caso das LCAs, inclusive, contam com a proteção do FGC (Fundo Garantidor de Crédito)", afirma Milane.

Podcast +Q1Minuto

Entenda melhor como lucrar com o crescimento do setor do agronegócio brasileiro. Desde a liberação do crédito ao produtor rural até a possibilidade de rentabilizar a sua carteira com a aplicação em ativos como CRAs, LCAs e Derivativos.

Ouça o episódio do +Q1Minuto sobre como investir no Agronegócio e amplie o seu conhecimento sobre as oportunidades no setor através dos investimentos nas commodities agrícolas.

Relacionados:

► JBS compra empresa europeia Vivera; Minerva concluiu emissão de debêntures► Banco do Brasil investiu R$ 67,9 bilhões em linhas agropecuárias na safra 2020/2021

Leia mais: