Indicador que avalia a renda dos brasileiros volta a subir em novembro, informa CNC

Atualizado em -

Indicador que avalia a renda dos brasileiros volta a subir em novembro, informa CNC Pixabay
► Confiança do comércio recua pelo segundo mês e mostra dificuldade na recuperação► Governo adianta fim da isenção de IOF em operações de crédito

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) divulgou nesta quinta-feira (26) que a intenção de Consumo das Famílias (ICF) cresceu em novembro (0,8%) e subiu a 69,8 pontos – o maior patamar desde maio de 2020. Foi o terceiro aumento seguido do índice, após os efeitos negativos da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus.

Mesmo com as recentes altas, o indicador registrou o pior desempenho para um mês de novembro desde o início da série histórica, em janeiro de 2010. Além disso, no comparativo anual, houve recuo de 26,7% – a oitava retração consecutiva nesta base comparativa. A ICF está abaixo do nível de satisfação (100 pontos) desde abril de 2015.

De acordo com o presidente da CNC, José Roberto Tadros, os resultados da pesquisa reforçam a confiança dos brasileiros na recuperação econômica.

“A melhora das percepções em relação ao mercado de trabalho e a continuidade do auxílio emergencial, mesmo em valor menor, foram o suficiente para levar segurança para os consumidores, principalmente no longo prazo”, afirma Tadros.

Entre os itens que compõem as condições de consumo, o Acesso ao Crédito recuou após duas altas seguidas (0,3%) e fechou o mês com 82,6 pontos; o Momento para Duráveis também registrou retração (3,1%), depois de três aumentos consecutivos – a queda mais expressiva entre os itens da pesquisa, permanecendo como o de menor pontuação na ICF (42 pontos); e o Nível de Consumo Atual cresceu 1,8% – o terceiro aumento consecutivo –, chegando a 53 pontos.

Relacionados:

► Confiança do comércio recua pelo segundo mês e mostra dificuldade na recuperação► Governo adianta fim da isenção de IOF em operações de crédito

Leia mais: