Guedes admite erros em crédito e privatizações e prevê 2020 com saldo negativo dos empregos

Atualizado em -

Guedes admite erros em crédito e privatizações e prevê 2020 com saldo negativo dos empregos Wilson Dias | Agência Brasil
► A exportadores, Guedes diz que Brasil 'saiu da recessão' e que pandemia ‘está descendo’► "Se um imposto for criado, será porque destruímos outros oito, nove ou dez", diz Guedes

A um público de empresários, o ministro Paulo Guedes (Economia) admitiu falhas do governo, como a demora na concessão de créditos e a pauta ‘parada’ de privatizações, previu a desaceleração na geração de empregos em 2020 e ainda disse que a Covid-19 ‘cedeu’ no país.

Durante participação em seminário da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), Guedes disse que “o programa de crédito demorou a funcionar”. Repetiu ainda que o governo “gasta muito e gasta mal” e que está segurando os gastos públicos.

Ainda segundo ele, o comércio exterior é que tem segurado a economia.

“As exportações agrícolas estão indo muito bem. Ao mesmo tempo, a criação de emprego no mercado interno vai bem graças à construção”.

Sobre a geração de empregos, o ministrou prevê uma perda aproximada de 300 mil postos formais de trabalho em 2020. As perdas, apontou o ministro, representam, no entanto, cerca de 20% do resultado negativo observado em 2015 e 2016. Em 2015 e 2016, houve perda de 1,5 milhão e 1,3 milhão de empregos, respectivamente.

Covid

Mesmo com uma tendência de crescimento de casos e mortes por Covid-19 observados nos últimos dias no Brasil, Guedes disse que a doença “cedeu” e negou que o país esteja passando por uma “segunda onda”.

Relacionados:

► A exportadores, Guedes diz que Brasil 'saiu da recessão' e que pandemia ‘está descendo’► "Se um imposto for criado, será porque destruímos outros oito, nove ou dez", diz Guedes

Leia mais: