Tok&Stok e Grupo Big fazem pedido de registro para IPO

Atualizado em -

Tok&Stok e Grupo Big fazem pedido de registro para IPO Foto: Divulgação | Internet
► O que é uma IPO e como posso avaliar uma oportunidade?► Neogrid pede registro para IPO; venda de ações será para comprar rivais e expandir

Duas novas companhias pediram registro para uma oferta inicial de ações (IPO) na bolsa de valores brasileira.

A empresa de móveis e acessórios de decoração Estok, conhecida pela marca Tok&Stok, pediu registro nesta terça-feira (20) e pretende usar os recursos captados para investir em expansão, transformação digital, desenvolvimento de nova marca, aquisições e melhoria da estrutura de capital.

A transação será coordenada por Itaú BBA, Credit Suisse, Bank of America, Bradesco BBI, Santander e UBS-BB.

Segundo a empresa, a oferta iniciald de ações também servirá para atuais acionistas da empresa, incluindo fundos geridos pelo Carlyle venderem fatias no negócio.

Até o mês de setembro, a companhia criada há cerca de 40 anos teve receita líquida de R$668 milhões, queda de 23,4% quando comparado com o mesmo período de 2019, impactada pela pandemia do coronavírus.

Grupo BIG

Outro pedido de registro para IPO foi feito pelo Grupo Big Brasil, varejista dona de marcas como Sam’s Club, Superbompreço, Maxxi Atacado e Mercadorama. O pedido foi feito na segunda-feira (19) e os recursos captados devem ser usados para abrir novas lojas de atacado e postos de combustível, converter lojas de unidades de varejo em lojas de atacado, reformar lojas atuais, e investir em sistemas de TI e outros projetos.

A operação será conduzida por Itaú BBA, Bank of America, BTG Pactual (BIPAC11), Credit Suisse, Bradesco BBI e JPMorgan.

O grupo Big é a terceira maior rede de supermercados do país. Nos primeiros nove meses deste ano, a companhia teve receita líquida de R$15,7 bilhões, uma alta de 5,36% na comparação com o mesmo período de 2019.

Relacionados:

► O que é uma IPO e como posso avaliar uma oportunidade?► Neogrid pede registro para IPO; venda de ações será para comprar rivais e expandir

Leia mais: