A seguidor no Facebook, Bolsonaro diz que vacina chinesa “não será comprada”

Atualizado em -

A seguidor no Facebook, Bolsonaro diz que vacina chinesa “não será comprada” Foto: Marcelo Camargo | Agência Brasil
► 35% dos voluntários da vacina chinesa contra Covid-19 no Brasil tiveram reações leves► Ministério da Saúde anuncia compra de 46 milhões de doses da CoronaVac

Um dia após o Ministério da Saúde anunciar a compra de 46 milhões de doses da CoronaVac, vacina contra a Covid-19 desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, o presidente Jair Bolsonaro indicou que a decisão não será mantida.

Nesta quarta-feira (21), em sua conta no Facebook, Bolsonaro foi questionado por um seguidor sobre a compra da “vacina chinesa” e respondeu que ela “não será comprada”.

"Presidente, a China é uma ditadura, não compre essa vacina, por favor. Eu só tenho 17 anos e quero ter um futuro, mas sem interferência da Ditadura chinesa", comentou o usuário. "NÃO SERÁ COMPRADA", respondeu, em caixa alta, o presidente.

A um outro seguidor, que chamou o ministro Eduardo Pazuello (Saúde) de traidor, Bolsonaro respondeu que “qualquer coisa publicada, sem qualquer comprovação, vira TRAIÇÃO”.

Além disso, o site Poder360 apurou que o presidente já comunicou a decisão a seus ministros. Segundo o site, o presidente enviou a seguinte mensagem a integrantes do seu governo: “Alerto que não compraremos vacina da China. Bem como meu governo não mantém diálogo com João Doria sobre covid-19“. Bolsonaro e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), são desafetos políticos.

Em meio ao impasse envolvendo a vacina, o ministro da Saúde está com com suspeita de covid. Nesta terça (20), ele apresentou quadro febril e tem cumprido agendas de casa.

Relacionados:

► 35% dos voluntários da vacina chinesa contra Covid-19 no Brasil tiveram reações leves► Ministério da Saúde anuncia compra de 46 milhões de doses da CoronaVac

Leia mais: