Câmara reverte votação do Senado e mantém veto a reajuste de servidores

Atualizado em -

Câmara reverte votação do Senado e mantém veto a reajuste de servidores Foto: Freepik
► CAF aprova empréstimo milionário para ajudar o Brasil no combate à covid-19► Senado derruba veto que impedia reajuste salarial a servidores por pandemia

A Câmara dos Deputados decidiu manter nesta quinta-feira (20), por 316 votos a 165, o veto do presidente Jair Bolsonaro ao reajuste salarial dos servidores até o fim de 2021.

A decisão dos deputados é considerada uma vitória do governo Bolsonaro, que passou o dia articulando uma forma de manter o veto, já que na quarta-feira (19) o Senado votou pela derrubada do veto. Para a decisão dos senadores prevalecer, era preciso que as duas Casas votassem nesse sentido.

Com a votação da Câmara, servidores públicos não poderão ter reajuste salarial até o fim do ano que vem por conta dos recursos investidos para lidar com a pandemia do coronavírus.

De acordo com cálculos do Ministério da Economia, uma eventual derrubada do veto poderia gerar perdas de até R$120 bilhões .

Mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro chegou a dizer que não pode governar "se esse veto não for mantido". Ontem, aliás, o ministro Guedes (Economia) atacou o Senado e afirmou que o veto seria um "crime" e um "péssimo sinal" para a agenda de corte de gastos do governo.

Há pouco, o Senado reagiu às declarações do ministro da Economia. Senadores desejam fazer uma reunião fechada com o ministro para cobrar sobre a declaração ocorrida ontem.

O próprio presidente da Câmara, Rodrigo Maia, criticou o ministro e o culpou caso o veto fosse derrubado na Câmara:

"Não nos ajuda o ministro Guedes atacar o Senado. Isso inclusive atrapalha e pode contaminar o nosso processo de votação", disse Maia.

Relacionados:

► CAF aprova empréstimo milionário para ajudar o Brasil no combate à covid-19► Senado derruba veto que impedia reajuste salarial a servidores por pandemia

Leia mais: